Vegano x Orgânicos x Natural

 

Vegano? Orgânico? Natural? Qual a diferença? Os termos são muitos e a confusão é inevitável, mas vamos explicar para você.

Muito se tem  falado em cosméticos naturais livre das químicas nocivas ao ser humano mas poucos são os que tem o conhecimento desses produtos.

No Brasil ainda não há legislação que regulamente a produção de cosméticos naturais e orgânicos, dependemos que agências regulamentadoras privadas como a EcoCert e a  IBD, que determinam uma vasta lista de ingredientes proibidos, ou seja, ingredientes que as marcas não poderão usar na formulação dos produtos por serem perigosos para a saúde e para o meio ambiente. 

Segundo a Ecocert, certificadora francesa de produtos naturais e orgânicos internacionalmente reconhecida por sua qualidade e segurança  para que um produto receba o selo de Cosmético Natural & Orgânico ele deve conter 95% de ingredientes vegetais e de origem vegetal oriundos de produção orgânica sendo que no mínimo 10% de tais ingredientes devem ser certificadamente orgânicos, ou seja, monitorados desde seu cultivo a fim de certificar que eles não tiveram contato com nenhum tipo de agrotóxico.

No geral, cosméticos orgânicos evitam o uso de produtos químicos sintéticos, conservantes artificiais, irradiação, organismos geneticamente modificados e experimentação animal.

O que é um cosmético vegano?

Um cosmético ser vegano não tem a ver com ele ser natural ou orgânico, mas sim com o fato de ele não possuir ingredientes de origem animal e nem ser testado em animais. O veganismo é uma filosofia de vida que pretende abolir o uso e exploração de animais para qualquer atividade humana – alimentação, entretenimento, beleza, entre outros.

Mas fique atento porque nem todos os cosméticos veganos são orgânicos e nem todos os cosméticos orgânicos são veganos. Há certos tipos de fórmulas orgânicas que possuem derivados animais obtidos sem crueldade, como mel, leite e cera de abelha. Então, caso você seja completamente restrita para com derivados de animais, fique de olho na composição.

Para que saiba quais os ingredientes que contém nos cosméticos convencionais, listamos abaixo as 10 químicas nocivas encontradas em cosméticos.

Fonte: This entry was posted on 31 de maio de 2013, in Saúde. Bookmark the permalink. http://www.cativanatureza.com.br/blog/saude-2/10-quimicas-nocivas-encontradas-em-cosmeticos#comments

Abaixo  estão as 10 substâncias mais nocivas e mais comuns encontradas nos rótulos de cosméticos. A grande maioria são extremamente baratos para produção em larga escala, por isso são tão usados na industria cosmética convencional. 

Saiba quais são e o que fazem:

1. Uréia imidazolidinil e Uréia Diazolidinyl

Conservantes mais usados depois dos parabenos . São uma das principais causas de dermatite de contato. Os nomes comerciais deles  são Germall II e Germall 115.

Nenhum deles tem uma eficaz  função antifúngica e por isso são combinados com outros conservantes. Além de liberar formaldeído, o que o torna potencialmente tóxico

2. Parabenos

São inibidores de crescimento microbiano e prolongam a data de validade dos produtos. São amplamente usados, pelo seu custo baixissimo – mas alguns estudos encontraram parabenos em tecido canceroso mamário.Requer mais estudo para provas conclusivas.

Além disso os parabenos são disruptores hormonais em potencial e  podem causar reações alérgicas e irritações cutâneas.

3. Derivados de petróleo:

Vaselina, Parafina, óleo mineral, Petrolatum (geléia de petróleo)

Usado pela  ação emoliente. Não trazem benefício para a pele , formam uma espécie de “filme”, uma película  que impede a pele de se hidratar ou assimilar  os ingredientes benéficos que o cosmético tenha. Os fabricantes usam petrolato porque é incrivelmente barato, porém  altamente poluentes

4. Propileno Glicol

A princípio é uma glicerina vegetal misturado com álcool de cereais,  ambos naturais. No entanto o que é utilizado pela industria cosmética convencional  é uma mistura petroquímica sintética utilizada como umectante. Conhecido por causar reações alérgicas e tóxicas.

5. PVP / VA Copolímero

É um produto químico derivado do petróleo utilizado em sprays, cremes de pentear e outros cosméticos. É  toxico aos pulmões, pois suas particulas penetram nos pulmões e podem causar danos a pessoas sensíveis.

6. Lauril Sulfato de Sódio

Usado em shampoo e sabonetes – por formar espuma – mas nada mais é que um detergente barato. Provoca irritação nos olhos, dermatites, queda de cabelo, descamações semelhante à caspa.


7. Cloreto Stearalkonium

Um produto químico usado em condicionadores de cabelo e cremes de pentear . Causa reações alérgicas. A princípio  foi desenvolvido pela indústria de tecido como um amaciante de roupas  e é muito mais barato e mais fácil de usar nas fórmulas do que proteínas ou ervas.


8.  Corantes sintéticos

Usados para dar cor atraente aos cosmético e também são encontrados em tinturas de cabelo. No rótulo estão identificados como: FD & C ou D & C, seguido de uma cor e um número.

Exemplo: FD & C Red n ° 8 / D & C verde n ° 6. Os corantes sintéticos são consideradas agentes cancerígenos.


9. Fragrâncias sintéticas:

Podem ter cerca de 4000 ingredientes. Não há como saber quais são estas substâncias uma vez que no rótulo está marcado simplesmente como ‘fragance’ ou ‘parfum’. Podem causar desde dores de cabeça, tonturas, erupções cutâneas, tosse violenta, vômitos, irritações na pele


10. Trietanolamina

É utilizado para ajustar o pH ou viscosidade do produto. Embora correspondam a menor porcentagem de uma fórmula, provocam instabilidade no produto e podem causar alergias e irritações na pele, problemas oculares, secura do cabelo e da pele e pode ser tóxica quando absorvidos pelo corpo se utilizado frequentemente.

Dentre outras quimicas nocivas segue:

Formaldeído: é um composto orgânico volátil (VOC) considerado carcinogênico pela Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (IARC) e produzido a partir de outra substância muito nociva à saúde. O problema que envolve o formaldeído (formaldehyde - nome que aparece nas embalagens) relaciona-se com a sua alta concentração na atmosfera por emissões antropogênicas e presença em cosméticos, como os esmaltes e produtos para alisamento capilar. Os efeitos na saúde vão desde irritação na garganta, olhos e nariz até câncer de nasofaringe e leucemia.

BHA e BHT: o BHA (buthylated hydroxyanisole como se apresenta nas embalagens) e o BHT (butylated hydroxytoluene) são encontrados principalmente em batons, sombras para os olhos, desodorantes e antitranspirantes.

Os compostos são previstos pelo Programa Nacional de Toxicologia dos Estados Unidos como razoavelmente carcinogênicos para os seres humanos, baseados em experimentos com animais. Da mesma maneira, a IARC coloca o BHA no grupo 2Bcomo uma substância que possui evidências suficientes quanto a sua carcinogenidade em animais, e que estes resultados podem ser considerados para seres humanos, porém ainda não é possível afirmar devido à falta de experimentos com humanos.

Chumbo: é um metal pesado nocivo aos seres humanos e ao meio ambiente em altas doses. Está presente no ambiente por conta de atividades antropogênicas, especialmente por emissão de fundições e fábricas de baterias. Pode ser encontrado na atmosfera na forma particulada - essas partículas podem ser transportadas por longas distâncias e se acumulam por deposição seca ou úmida em outros locais.

O chumbo (Pb) ou lead (em inglês) está relacionado com ocorrência de câncer, depressão, agitação, agressão, perda de concentração, déficit de QI, hiperatividade, desregulação do ciclo menstrual, nascimento prematuro, Alzheimer, Parkinson, redução das capacidades cognitivas, entre outros distúrbios e  doenças.

As vias de exposição ao chumbo são oral, inalatória e pelo contato com a pele. Vários produtos utilizam o chumbo em sua composição, como tintas, cigarros, placas de baterias elétricas e acumuladores, vitrificados, esmaltes, vidros e componentes para borracha.

Outras fontes de exposição ao Pb são os cosméticos e produtos de beleza, como tintura para cabelos e batons. No Brasil, esse metal é regulado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e só pode estar presente na tintura capilar com limite de 0,6%. 

Nós estamos em contato com o chumbo no dia a dia. As vias de exposição ao chumbo são oral, inalatória e pelo contato com a pele. Vários produtos comunsencontrados em casa podem conter chumbo em sua composição, como tintas, esmaltes, cosméticos, cigarro, produtos de beleza, como tintura para cabelos e batons. Especificamente nas tinturas para cabelos, o chumbo é encontrado na forma de acetato de chumbo, uma composição de ácido acético e chumbo.

Existem estudos que comprovam a absorção por meio da pele do couro cabeludo do acetato de chumbo quando utilizado em tinturas capilares, levando aos mesmos efeitos negativos à saúde que o chumbo. Na Europa o acetato de chumbo está na lista de substâncias banidas de produtos de tintura capilar.

Efeitos na saúde  -  Chumbo no organismo é distribuído para o cérebro, fígado, rim e ossos. Ele é acumulado ao longo do tempo. Sua quantidade presente no corpo pode ser medida diretamente por meio de sangue, dentes ou ossos. Crianças e mulheres grávidas são mais suscetíveis aos efeitos do chumbo.

Dentre os problemas agudos causados pelo chumbo estão perturbações gastrointestinais (náuseas, vômitos, dor abdominal), danos hepáticos e renais, hipertensão e efeitos alguns efeitos neurológicos (mal-estar, sonolência, encefalopatia).

Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC) classificou os compostos de chumbo inorgânicos como provavelmente cancerígenos para os seres humanos. Além disso, estudos indicam o chumbo como um disruptor endócrino, podendo alterar a forma natural de regulação hormonal do organismo.

Os cosméticos aqui oferecidos são certificados pela NATURKOSMETIK, certificadora Alemã.